Agentes Autônomos da XP Tem Autorização Judicial Para Trabalhar com BTG

0
108
Agentes Autônomos da XP Tem Autorização Judicial Para Trabalhar com BTG

Agentes Autônomos da XP Tem Autorização Judicial Para Trabalhar com BTG. O BTG Pactual recebeu nesta segunda-feira 08/04, a anulação de liminar que o impedia de negociar com agentes autônomos de investimentos da XP corretora.

O processo que teve a liminar anulada foi movido pela XP contra o BTG. Ele ocorre na 2º Vara Empresarial de São Paulo, mesmo local onde a liminar foi cassada. De acordo com a decisão, a XP corretora estava tentando conseguir exclusividade dos agentes autônomos. Entretanto, isto prejudicaria a concorrência.

Contudo o BTG oferece ofertas com condições mais vantajosas para atrair agentes ligados à XP. Fato este que faz parte da lógica de concorrência. Além de ser um incentivo de crescimento ao mercado de corretoras.

As acusações que foram suspensas

A corretora XP acusou o BTG de concorrência desleal ao seduzir seus agentes autônomos. Oferecendo a eles condições financeiras vantajosas para deixar de ser associado da plataforma da corretora.

A XP acusou o BTG de pagar “luvas” aos Agentes autônomos de Investimentos para deixar a XP. Também utilizou indevidamente os dados dos clientes durante as negociações.

Enquanto a liminar estava em vigência, o escritório de agentes autônomos apenas podia repassar ao BTG dados sobre o empreendimento. Por exemplo, fluxo de caixa e de receita, sem revelar nome e total investido por clientes, investimento médio por cliente e perfil de investimento médio dos clientes.

O Tribunal de Justiça, TJ de São Paulo proibiu o BTG de entrar em contato, abordar, oferecer vantagem financeira e pedir informações dos clientes aos agentes autônomos da XP. Isto antes da anulação da liminar.

Mas o TJ não proibiu um agente autônomo credenciado à XP de negociar sua transferência à plataforma da BTG. Levando em consideração as cláusulas contratuais com a corretora e não repassando informações dos clientes.

Os mesmos devem ser notificados se concordam ou não com a mudança de instituição financeira responsável pela custódia do seu investimento. As informações do processo foram divulgadas pelo O Globo.