Certificado de Operação Estruturada você Precisa Conhecer

0
14
Certificado de Operação Estruturada você Precisa Conhecer
Certificado de Operação Estruturada você Precisa Conhecer

Certificado de Operação Estruturada você Precisa Conhecer

Quando o assunto é a formação de patrimônio e riqueza nada substitui seu estudo e conhecimento sobre as possibilidades do mercado financeiro. Em momentos como o atual conhecer as opções de investimento torna-se ainda mais fundamental para alcançar bons resultados na gestão e crescimento do patrimônio.

O COE é um tipo de investimento ainda relativamente novo no país. Sua atratividade esta na característica híbrida. É um investimento que atrela os resultados em renda fixa e variável.

Por conter operações estruturadas, o COE não é uma solução única, ele funciona como um pacote. Quem decide aplicar desse modo não terá o dinheiro investido em uma opção que segue uma determinada rentabilidade. há um conjunto de estratégias que têm maior ou menor grau de risco. Em geral, parte da aplicação do dinheiro ocorre em renda fixa, e o restante em renda variável.

Cada instituição emissora dos títulos define um valor mínimo para a aplicação. É algo que depende, ainda, da estratégia empregada e de outras características, então é preciso avaliar. O que também varia para cada emissão é o prazo. Por lei, o período não pode ser menor que 6 meses. O comum é que a duração ultrapasse os 30 meses, o que contribui para a redução da tributação.

Vantagem e Desvantagem

Como vantagens, existe a possibilidade de investir em alternativas com melhor rendimento sem correr tantos riscos. Também é um jeito de se aventurar em mercados complexos sem ter que gastar muito ou arriscar demais. Outro ponto positivo é que se trata de uma excelente chance de diversificação. Com o COE na carteira, você alavanca o patrimônio e atende o seu perfil ao mesmo tempo.

Os riscos e à falta de liquidez são desvantagens. A limitação de ganhos pode gerar um custo de oportunidade maior ou, no mínimo, impedir resultados muito interessantes. Essa aplicação não conta com o apoio do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). A instituição emissora, portanto, deve ser bem escolhida para que você não perca seu dinheiro em caso de falência da instituição.

Existe a cobrança do imposto de renda como nas outras operações financeiras.

Por outro lado, a integradora Cetip é a principal responsável por tais títulos. Ela garante a avaliação de ofertas para que as opções sejam abrangentes e diversificadas. Além disso, conta com um processo de certificação para instituições. Se o empreendimento dispuser do selo, oferece maior segurança e a certeza de que tudo estará devidamente no seu nome.

Esse acompanhamento ajuda a reduzir os riscos, mas ainda é preciso estar preparado para ter alguma tolerância à variação monetária, em alguns casos.

Modalidades de COE

Valor nominal em risco á essa alternativa limita a perda até o valor aplicado. Ou seja, o dinheiro é distribuído entre os ativos de renda fixa e variável e a perda pode ser de, no máximo, R$ 5 mil, por exemplo. Não há garantias quanto ao recebimento, mas também não restam dívidas ao final. Em geral, tanto as perdas quanto os ganhos são limitados, portanto é viável ter uma ideia sobre os resultados possíveis. Você pode ter ganhos ou perder todo o investimento.

Já para valor nominal protegido há a garantia de receber, no mínimo, o valor inicial aplicado. No exemplo, haverá o resgate de pelo menos R$ 5 mil ao final da aplicação. Para tanto, é comum que a maior quantia seja destinada a opções de renda variável, de modo a garantir o retorno.

A rentabilidade da COE pode ocorrer de várias maneiras pode ter um aspecto relacionado à renda fixa, a rentabilidade do COE não é única. Ele pode estar ligado a diversos índices, como o Ibovespa, o câmbio, as ações de empresas, as bolsas internacionais e o mercado futuro. Contudo, a rentabilidade é limitada, assim como possíveis perdas.

Imagine que alguém investe em um COE atrelado à taxa de câmbio. Por contrato, o recebimento será de até 20% de valorização da moeda, como o dólar. Se a escolha for de capital nominal protegido, então não haverá perdas mesmo que haja queda no valor. Contudo, se o dólar valorizar 50% no período, o recebimento é de apenas 20%. É esse equilíbrio que garante a manutenção do investimento.