13.7 C
São Paulo
segunda-feira, junho 24, 2019

Mercado de Bitcoin no Brasil é Maior que Bolsa de Valores

Mercado de Bitcoin no Brasil é Maior que Bolsa
Mercado de Bitcoin no Brasil é Maior que Bolsa de Valores

Mercado de Bitcoin no Brasil é Maior que Bolsa de Valores

Apesar de ser um investimento considerado de altíssimo risco, o bitcoin atrai um perfil de investidores bastante variado. Graças à possibilidade de se investir pequenas quantias até aportes milionários. O investimento médio é de R$ 1.700, abrangendo aportes que começam em R$ 30 e podem chegar a R$ 30 milhões.

O atual número de investidores de bitcoins no Brasil já superou o total de pessoas físicas cadastradas na B3 (a bolsa de valores paulista). Este grupo também ultrapassou a soma de todos os investidores ativos do Tesouro Direto, uma das aplicações mais populares do país, com recordes recentes de adesão. É possível haver CPFs duplicados tanto na bolsa quanto no caso dos bitcoins, já que os dados não excluem possíveis investidores cadastrados em mais de um lugar.

Nas três principais casas de câmbio de bitcoin do país. Que fornecem acesso a cerca de 95% de todas as transações com a criptomoeda. Em dezembro o número de cadastrados somava 1,4 milhão. Este número representa mais que duas vezes as 619 mil pessoas físicas cadastradas na B3 até o fim do ano passado. Também os 558 mil investidores de títulos públicos em novembro.

A supervalorização da criptomoeda no ano passado, que chegou a ser cotada a quase 20 mil dólares é considerada a maior razão para a busca por este tipo de investimento. Apesar da popularização do bitcoin. O investimento não é recomendado pelo Banco Central do Brasil. A instituição visualiza na criptomoeda riscos de uma bolha financeira. Após atingir seu àpice no final do ano passado, a moeda iniciou queda que chegou a 50% de seu valor.