17.5 C
São Paulo
quinta-feira, maio 23, 2019

Saques da Poupança Continuam em Alta Segundo Banco Central

Saques da Poupança Continuam em Alta Segundo Banco Central
Poupança ainda perde na escolha dos investidores

Poupança Nada Atrativa como Investimento

O Banco Central liberou relatório referente a poupança na última sexta-feira. De acordo com o relatório os saques líquidos somaram R$ 1,270 bilhão em abril, após uma perda de R$ 4,996 bilhão em março.

A poupança apresentou mais um mês com saque líquido dos recursos. Este foi o quarto consecutivo, no entanto em volumes menores do que os registrados no ano passado. O resultado de abril poderia ter sido ainda pior. Fato que não ocorreu devido a entrada de R$ 3,711 bilhões no último dia útil do mês.

Até dia 27, as saídas líquidas somavam R$ 4,982 bilhões. Em 2016, a poupança encerrou com saque de R$ 40,701 bilhões. Já em 2015 a perda líquida foi de R$ 53,567 bilhões.

A poupança é o principal instrumento para o financiamento do crédito imobiliário. Desde 2015 o governo através do Banco Central  tomou medidas para garantir recursos ao setor. Com a mudança nas regras de depósitos compulsórios e uso do FGTS para compra de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

A última ação nesse sentido foi tomada no fim de março com o início da tentativa de regulamentação da Letra Imobiliária Garantida (LIG). O assunto estava em audiência pública até o fim de abril e a expectativa é que até o encerramento do semestre o novo instrumento de funding para o setor já esteja funcionando.

Desde o fim de agosto de 2013, a poupança voltou a ser remunerada pela “fórmula antiga” de 0,5% ao mês mais TR. A previsão do mercado é da Selic a 9,25% no fim de 2017. Pela regra atual, se a Selic voltar abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento será equivalente a 70% da taxa básica de juros. Enquanto isto não ocorre, este investimento ainda continua perdendo para outras opções existentes.

 

error: Conteúdo Protegido-Entre em contato que liberaremos sua publicação