Quanto custou o Impeachment?

Após nove meses finalmente o processo de Impeachment de Dilma Rousseff chega ao fim. Quanto custou o Impeachment? É incalculável, pois existe o custo que não é mensurável monetariamente.

Já se formos falar do custo monetário apenas a Câmara dos Deputados em Brasília gastou em média em cada sessão noturna do plenário, R$ 1 milhão só em horas extras de servidores. E veja agora a questão ética envolvida, dos 4.667 servidores que trabalham na casa, contando os que são concursados e os de cargos especiais. Cerca de  2,6 mil batem o ponto para ganhar horas extras. Porém, segundo o estudo realizado pela secretária da Casa, só 500 trabalharam até o fim da sessão.

O Custo

Para se chegar ao valor de R$ 1 milhão a conta foi simples. Cada funcionário recebe em média em uma sessão noturna R$ 400 de hora extra. Se trabalhar mais de duas horas extras, tem direito a folga, decorrente do banco de horas. Assim cada sessão custou para a Câmara mais de R$ 1 milhão só no pagamento de horas extras.

Considerando os valores divulgados pela câmara, as mais de 50 horas seguidas de sessão que decidiram o impeachment de Dilma Rousseff, custaram mais de R$ 30 milhões aos cofres públicos. Sem contabilizarmos outros gastos e adicionais aos deputados, os gastos facilmente chegam a R$ 50 milhões.

Isto considerando apenas a etapa do processo que ocorreu na câmara dos deputados. Imagine onde chega este valor se considerarmos as outras instâncias de todo o rito. Além da manutenção de salários e regalias para dois presidentes.

Tudo isso num momento em que os brasileiros enfrentam uma crise econômica e o governo  do país apresenta um rombo de R$ 90 bilhões no orçamento do ano para o próximo ano. Este são alguns dos números do Impeachment. Todos totalmente desnecessários se na hora do voto a escolha tivesse sido consciente e definitiva.

Que este episódio consiga de alguma forma elevar a escolha dos cidadãos nas urnas. Afinal de contas teremos eleições municipais este ano, uma boa oportunidade para colocar em prática novas formas de avaliar  e realmente pesquisar os níveis de competência administrativa dos candidatos.