Sustentabilidade em Alta-BNDES Libera R$679 Milhões Para 12 Parques Eólicos

0
74
Sustentabilidade em Alta-BNDES Aprova R$679 Milhões Para 12 Parques Eólicos
Energia sustentável, investimento em parques eólicos

Parques Eólicos no Rio Grande do Sul Recebem Financiamento

Em meio as alternativas para a sustentabilidade o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a concessão de financiamento de R$ 679 milhões à empresa Atlantic Energias Renováveis S/A. Para implantação do Complexo Eólico Santa Vitória do Palmar, no Rio Grande do Sul.

O empreendimento, orçado em R$ 1,2 bilhão, é formado por doze parques geradores. Além de sistema de transmissão associado, com potência instalada de 207 megawatts (MW), suficiente para atender cerca de 400 mil residências ou 1,2 milhões de habitantes.

A Atlantic Energias Renováveis, controlada pelo grupo britânico Actis, atua no Brasil no desenvolvimento, implantação e operação de projetos de geração de energia elétrica proveniente de fontes renováveis. Sediada em Curitiba, no Paraná, a empresa tem um portfólio com 29 ativos no Brasil, sendo uma PCH e 28 parques eólicos, com 652 MW contratados. Dos quais 318 MW em projetos já implantados e operacionais, localizados nos estados do Piauí, Rio Grande do Norte, Bahia, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Localizado em 10.424 hectares de áreas arrendadas na Metade Sul, uma região economicamente pouco ativa do Rio Grande do Sul. O empreendimento de Santa Vitória do Palmar terá impactos relevantes no desenvolvimento local e regional, com estímulo à diversificação econômica.

As obras

Durante a construção dos parques, serão gerados cerca de 700 empregos diretos e outros 30 na fase de operação. Por ser um investimento em fonte energética renovável e limpa, o Complexo contribuirá também para a redução da emissão de gases causadores do efeito estufa.

As obras do Complexo Eólico Santa Vitória do Palmar foram iniciadas em agosto de 2015 e contarão com aerogeradores da empresa Acciona, da Espanha, instalados em torres com altura de 120 metros, e capacidade de geração de 3 MW cada um. No total, serão 69 aerogeradores de última geração, conectados a três subestações que já se encontram em operação.

Atualmente o Complexo possui 111 MW em operação comercial. Dos 12 parques previstos, cinco já estão concluídos, contando com 32 aerogeradores instalados. A previsão é de conclusão das obras ao longo de 2017.

O apoio financeiro do BNDES será concedido de forma mista, sendo R$ 449 milhões diretamente pelo BNDES FINEM. E R$ 230 milhões repassados pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). O projeto também poderá emitir R$ 109 milhões em debêntures de infraestrutura.

Facebook Comments