Vale Pede na Justiça Investigação de Responsabilidades da TÜV SÜD

Vale pede na justiça investigação de responsabilidades da TÜV SÜD. A Vale protocolou ação contra a TÜV SÜD, responsável pelo laudo de estabilidade da barragem da mineradora que se rompeu em Brumadinho. A mineradora investiga o ocorrido, e busca acesso a todos os documentos sobre os serviços prestados pela auditora.

Contudo, a Vale afirma que a empresa de auditoria não cumpriu o contrato e por esta razão teria responsabilidades.

O incidente ocorrido colocou a barragem, com mais de 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro em colapso. O fato ocorreu em 25 de janeiro último. A imensa onda de rejeitos atingiu as instalações da Vale, mata nativa, comunidades e rios da região.

Em contrapartida, a mineradora cita depoimento do funcionário da TÜV SÜD Makoto Mamba à Polícia Federal. Ele alegou ter se sentido “pressionado” pela Vale a assinar declaração de estabilidade da barragem de Brumadinho. Com o objetivo de que fosse permitida a continuidade das intervenções previstas na estrutura.

O Processo

No processo a Vale alega que a declaração de Makoto Mamba é uma verdadeira confissão de responsabilidade da TÜV SÜD. Afirmar ainda, que por eventual imprecisão da declaração de estabilidade emitida” a responsabilidade é da consultoria.

A mineradora na ação busca seu acesso aos documentos relativos aos serviços prestados pela auditora. Com base neles quer aprofundar a sua própria investigação quanto às causas técnicas do desastre que matou centenas.

A Vale afirma que a TÜV SÜD atribuiu para si em contrato a responsabilidade por todo e qualquer ato ou omissão de seus funcionários. Tudo que pudesse gerar qualquer responsabilidade de natureza civil, criminal, tributária, trabalhista, previdenciária ou ambiental, excluindo-se expressamente a responsabilidade da Vale, arcando integralmente a contratada com todas as perdas e danos.

De acordo com os advogados caso a afirmação de Makoto Mamba se confirme e o documento técnico produzido para a barragem de fato contenha inexatidões. Estará configurada a violação a todas essas obrigações contratuais. Além das obrigações de independência e imparcialidade a que estão sujeitos os auditores independentes”.

Segundo a Reuters a TÜV SÜD não quis comentar o assunto, em respeito às investigações.