Como começar uma empresa-Startup

0
306

Como começar uma empresa Startup. Como já se sabe, tudo que vale a pena não é fácil. Para começar uma empresa o trabalho é duro além de demandar muita dedicação. Então como começar em empresa Startup? Vamos aqui tratar de alguns passos importantes deste processo.

 Criar um quadro de Visão do Produtou/Serviço

Este quadro é divido em 5 áreas e deve ser preenchido de acordo com as hipóteses iniciais que o empreendedor definir para o negócio são elas?

Público-Alvo: segmento de mercado, quem o produto/serviço beneficia? Quem são os clientes e usuários?

Necessidades: A proposta de valor, soluções que oferece e benefícios que cria para os clientes e usuários. Deixar claro porque as pessoas querem usar e comprar o produto ou serviço.

Visão: resumo da intenção e motivação que o empreendedor tem para o produto/serviço.

Produto: resumo das top  5 funcionalidades que destacam o produto/serviço e são críticas para o sucesso. Se estão relacionadas a proposta de valor e resolvem as necessidades identificadas. Não é necessário listar várias funcionalidades.

Valor: valor interno para a startup, porque ela tem interesse em investir no produto, o que ela espera de retorno. Especificar os ganhos esperados para o negócio (ex.: aumentar receita, entrar em novo mercado, reduzir custos, desenvolver a marca, adquirir conhecimentos, etc). Através de pesquisa de rua os itens acima devem ser validados e avaliados.

Criar modelo de negócios

Uma boa forma de fazer isso é usar o Canvas. O Canvas é uma ferramenta para construção de modelos de negócio. Une em apenas uma folha, os principais aspectos de um negócio. Criado por Alex Osterwalder e popularizado no livro Business Model Generation (leitura obrigatória para empreendedores que querem começar uma startup).

Ele é um resumo de hipóteses sobre várias áreas do negócio, neste momento já temos novas hipóteses para serem validadas junto aos clientes e usuários.O foco aqui é validar o encaixe da sua solução no mercado, ou seja, verificar se os clientes realmente precisam da solução oferecida.

Tornar válida a solução

Hora de voltar às ruas e entender se seus possíveis clientes aceitam utilizar a solução proposta conforme ela foi desenhada ou se a solução precisa de ajustes para que eles usem ou comprem. Pode ser que a solução ainda não exista.

Muitas vezes a solução proposta se trata de um site ou aplicativo, algo que nesta etapa ainda não foi construído (e nem deve ser!). Para poupar esforços, agilizar o processo e evitar desperdício de recursos financeiros.Você deve entender se as pessoas comprariam ou usariam seu produto/serviço antes mesmo que ele esteja concluído.

Para fazer isso você deve oferecer sua solução fazendo de forma “manual” (ou utilizando tecnologias já existentes) o que seu site ou aplicativo faria de forma “automática”. Isso é chamado de MVP Concierge.

Sugestões para essa etapa: Por exemplo se quer criar um aplicativo no estilo de marketplace pode criar um grupo no facebook para validar sua solução;
Se a idéia é criar uma solução para permitir que mulheres encontrem cabeleireiros pode fazer uma lista com o nome de alguns profissionais e oferecer para mulheres que se encaixem no seu público por telefone, pelo facebook ou através de uma fan page;
Se sua startup vai oferecer algum serviço você pode começar a fazer isso pessoalmente ou através de uma simples landing page.

O ideal é começar a faturar nesta etapa fazendo com que os clientes comecem a pagar mesmo que a solução não esteja completa. Isso é possível porque o foco nesse momento é encontrar os early-adopters (adotantes iniciais). Esse tipo de cliente costuma pagar por uma solução mesmo que ela ainda seja, de certo modo, incompleta, pois ele acredita na proposta de valor e aposta que essa solução é tão boa para sua necessidade que já vale a pena pagar por ela.

Conhecer o Cliente

E fundamental conhecer seus clientes, entendê-los, suas necessidades, problemas e expectativas. Na construção do Canvas foi definido o segmento de clientes, ou seja, seu público-alvo. No entanto,é necessário definir muitos outros detalhes a respeito desses clientes. Nesta etapa você deve definir em mais detalhes quem é o cliente, sua idade, preferências pessoais e profissionais. Seus hábitos, o que ele faz durante o dia e nos finais de semana, se ele trabalha ou não, como ele gasta seu tempo e quais são os objetivos e expectativas dele com a solução oferecida.

Todos esses detalhes ajudam a entender melhor seus clientes e usuários e isso possibilita ajustar a solução e descobrir novas funcionalidades ou descartar funcionalidades que haviam sido planejadas.

O Mínimo Produto/Serviço Viável

O objetivo do MVP é automatizar o trabalho e aumentar a escala de clientes ou usuários atendidos, afinal o objetivo é que a startup já esteja “funcionando” e faturando, mesmo que em uma escala reduzida e de forma manual. Assim o empreendedor deve definir o pacote mínimo de recursos que o MVP deve conter, priorizando entre 3 e 5 funcionalidades mais urgentes, conforme o feedback dos clientes e usuários.

Seguindo estes passos acima você evita que seja construído um MVP ou funcionalidades sem utilidade para os clientes e usuários. O que gera enorme economia de tempo e de dinheiro para o empreendedor.

Precisa de ajuda neste processo? Inscreva-se em nosso clube de membros. Através do clube de membros oferecemos suporte em níveis diferenciados dependendo da necessidade de cada um.

Facebook Comments