Congresso Paralisa Atividade Econômica do País

0
267
Congresso Paralisa Atividade Econômica do País

Congresso paralisa atividade econômica do país. Em meio ao toma lá da cá da velha política brasileira, o Congresso parece não se importar de fato com a população do país. Grande parte dos membros do Congresso estão fazendo tudo para atrasar os trabalhos e as votações que podem de fato fazer com que o país volte a caminhar.

Em quanto no Congresso aqueles eleitos pelo povo, e que tem seus vultuosos salários garantidos mensalmente brincam de “quem atrapalha mais a nação”. O país agoniza pedindo soluções urgentes.

Acaba de ser divulgado pelo Banco Central, nesta quarta-feira, 15, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br). O índice é uma espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB). A contração apurada é de 0,28% em março, na comparação com o mês anterior e encerrou o primeiro trimestre com contração de 0,68%. A expectativa segundo pesquisa da Reuters era um recuo de 0,20% em março sobre fevereiro.

Na comparação com março de 2018, o IBC-Br apresentou queda de 2,52% e, no acumulado em 12 meses, teve alta de 1,05%, segundo números observados.

Enquanto isto, os Congressistas parecem estar avessos a realidade da nação. Apenas querendo atrapalhar o governo atual, o que é um desrespeito para com toda a população que paga seus salários. Querem também garantir que o governo tenha sua popularidade sufocada para que não haja uma reeleição.

Existem medidas muito importantes para o país no congresso, que se não forem votadas até junho serão extintas. Um desperdício de dinheiro e tempo que não pode acontecer na conjuntura atual da nação. Decretos do governo no valor de bilhões de dólares em receitas muito necessárias expirarão em 3 de junho, a menos que o Congresso os ratifique. O Congresso já adiou a aprovação dos três projetos de lei uma vez e a lei brasileira exige sua aprovação ou expiração.

O governo propôs uma legislação que economizaria cerca de um trilhão de reais em 10 anos. O que fortalecerá o o acesso às aposentadorias. Neste projeto, aqueles que legislam votando a favor, estarão abrindo mão de uma aposentadoria superior a 25 mil reais por uma de pouco mais de 5 mil reais. Seria esta também outra razão de tanta briga em torno deste assunto?

Em contrapartida, o projeto de lei para combater a fraude no sistema de seguridade social deve resultar em um extra de 10 bilhões de reais em 12 meses, de acordo com os próprios cálculos do governo.

Enquanto o governo e seus aliados tentam organizar a bagunça econômica de anos anteriores para que o país volte a crescer. Os congressistas não se importam com o crescimento do país. Apenas buscam tirar energia e força do governo, inclusive para paralisar delações e prisões de corruptos.

Como Rodrigo Maia já conseguiu abafar a prisão de seu sogro, Moreira Franco, até o ponto de o mesmo não ter sido preso pela segunda vez juntamente com o ex-presidente Michel Temer. Não fica difícil imaginar o quão ocupado Rodrigo Maia esteja. Tentando amenizar a situação do sogro, e agora a sua própria como delatado.

Fato este que também é curioso, Rodrigo Maia e o filho de Lula, Luís Claúdio (Luleco), são delatados pelo dono da Gol e o fato não tem repercussão alguma. Seria porque o importante agora é tentar levar o foco para a educação? E claro deixar a corrupção de lado como sempre.

Como pode Rodrigo Maia continuar a frente do Congresso em decisões tão vitais para o país, visto que é delatado. Como alguém nestas condições pode ter credibilidade para este tipo de condução nacional? Parece que poucos estão prestando a devida atenção a estas questões cruciais.

Enquanto isto, o STF se delicia comemorando em banquetes regados a lagosta e outras iguarias pagas com o dinheiro da população. Comemora por exemplo, a liberação de Michel Temer, pela segunda vez, da cadeia, além da sua própria hegemonia diante de uma sociedade que clama por ética, bom senso e repeito com o dinheiro público.