Mercado Imobiliário inicia aquecimento momento favorável

0
196
Mercado Imobiliário inicia aquecimento momento favorável

Mercado Imobiliário inicia aquecimento momento é favorável. As previsões de especialistas, o setor vem registrando números favoráveis, o que dá maior segurança para quem quer investir em imóveis. Nesse movimento de retomada, o esperado crescimento gradual e consistente está se confirmando.

Contudo, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção, CBIC, aponta dados bastante representativos. Ainda no primeiro trimestre, a entidade registrou avanço de 9,7% nas vendas e de 4% nos lançamentos residenciais.

Espera-se que os lançamentos e as vendas de imóveis residenciais cresçam entre 10% e 15% até o fim do ano. Entretanto, as moradias de médio e alto padrões são indicadas como as principais responsáveis por esse aumento.

Veja também:

Bitcoin é vendida a 8000 dólares em bolsa de derivativos e causa prejuízo a clientes.

Petrolífera mais lucrativa do mundo anuncia IPO que pode ser a maior do mundo.

Entretanto, as vendas de imóveis também se intensificaram. A Pesquisa do Mercado Imobiliário, feita pelo Sindicato da Habitação do estado de São Paulo, SECOVI, mostrou que entre julho de 2018 a junho de 2019 foram comercializadas 36.673 unidades residenciais novas na capital paulista. O que mostra um número 32,2% maior em relação ao mesmo período anterior.

As oportunidades estão surgindo em todo País esta realidade também se replica no interior. Nesta área a movimentação do mercado imobiliário é fortalecida tanto pela confiança do consumidor. Além da busca de melhor qualidade de vida. Novas oportunidades estão surgindo, inclusive na cidade de São Carlos, e para fazer bons negócios basta ficar de olho nos lançamentos.

No entanto, os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) também ajudaram. Eles custeiam as moradias de médio e alto padrões, também reforçam as perspectivas favoráveis. No mês de abril, atingiram R$ 5,77 bilhões, valor 2,2% maior em relação a março e 40,3% mais alto comparado ao mesmo mês de 2018.