Petrolífera mais lucrativa do mundo anuncia IPO que pode ser a maior do mundo

0
170
Petrolífera mais lucrativa doo mundo anuncia IPO que pode ser a maior do mundo

Petrolífera mais lucrativa do mundo anuncia IPO que pode ser a maior do mundo. O comunicado foi feito neste domingo,03. A gigante petrolífera estatal da Arábia Saudita iniciou sua oferta pública inicial de ações (IPO).

A intenção é de operar na bolsa doméstica, no que pode ser a maior listagem do mundo, num momento em que o país busca diversificar sua economia fora do petróleo.

Contudo, os banqueiros afirmaram ao governo saudita que os investidores provavelmente avaliariam a empresa em cerca de 1,5 trilhão de dólares. O que esta abaixo dos 2 trilhões de dólares apresentados pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman quando ele divulgou a ideia de uma abertura de capital há quase quatro anos.

Entretanto, a Aramco, empresa mais lucrativa do mundo, ofereceu poucos detalhes sobre o número de ações a serem vendidas, preço ou data de lançamento. Em entrevista o presidente da Aramco, Yasir al-Rumayyan afirmou que “hoje é a oportunidade certa para novos investidores colherem os benefícios da capacidade da Aramco. Além de agregar valor e impulsioná-la a longo prazo”.

Veja também:

Plataforma de criptoativo tem vazamento de informações de clientes.

Crédito celular pré-pago deve ter validade de um ano, segundo projeto de lei.

A IPO foi projetado para turbinar a ambiciosa agenda de reformas econômicas do príncipe Mohammed ao levantar bilhões para construir indústrias não energéticas e diversificar os fluxos de receita.

Contudo, Rumayyan disse que uma decisão sobre cotação internacional das ações da Aramco será tomada no futuro. Por enquanto, sem dar prazo ou local para a cotação no exterior.

Fontes disseram que a companhia de petróleo poderia oferecer de 1% a 2% de suas ações na bolsa local. Garantindo entre 20 bilhões e 40 bilhões de dólares. Um acordo acima de 25 bilhões de dólares superaria o recorde da gigante chinesa de comércio eletrônico Alibaba em 2014. A informação é da Reuters.