Milionário conta as coisas que o fizeram desperdiçar dinheiro e tempo aos 20 anos

0
108
Milionário conta as coisas que o fizeram desperdiçar

Milionário conta as coisas que o fizeram desperdiçar dinheiro e tempo aos 20 anos. CEO de sete empresas privadas o milionário Grant Cardone, faz uma análise de sua vida. E aos 61 anos conta as coisas as quais se arrepende.

No entanto, Cardone acredita que sempre há espaço para melhorias, mas é importante reconhecer os erros do passado e aprender com eles. Segundo ele, hoje ele percebe o quanto não sabia sobre dinheiro aos 20 anos. “Se eu pudesse voltar no tempo, eu diria ao meu eu mais novo: “Sua educação não pára depois da faculdade”, diz ele.

Cardone diz que gastou dinheiro com drogas e álcool e desenvolveu dependência. “Eu deveria estar gastando esse dinheiro em coisas que me ajudariam a desenvolver novas habilidades, adquirir conhecimento e fazer conexões poderosas”, afirma ele.

Em contrapartida, Cardone diz “hoje eu sei que investir em si mesmo só vai torná-lo mais valioso e aumentar seu potencial de ganhos”. De acordo com o milionário, começou a transformar sua vida aos 25 anos.

O início da mudança

Tudo isto, quando gastou os únicos 3.000 dólares que tinha em um programa de áudio. Através deste programa aprendeu sobre vendas e como fechar negócios. Ele acredita que o sucesso que alcançou foi resultado do programa e seu comprometimento.

Outro erro da juventude que cometi, foram viagens que eu mal podia pagar. Muitos millennials hoje se encontram em uma posição similar. Eles têm o desejo de viajar porque não têm nenhum propósito no trabalho.

Segundo Cardone, os jovens acreditam que o tempo livre, viajando, os ajudará a descobrir que “algo” está faltando em suas carreiras. Quando você não sabe o que deve fazer, é fácil colocar a vida em espera, ir de mochila às costas e ficar em albergues.

O conselho do milionário neste quesito é o seguinte: “Fique obcecado com o seu propósito e você descobrirá que seus planos de viagem podem esperar. Conforto é o inimigo da abundância . Não deixe em uma passagem para os Estados Unidos sua liberdade.

No entanto, o milionário também descobriu que quando você é jovem, é fácil ser preguiçoso e não se sentir culpado por isso. “Deixe todo mundo na casa dos 20 anos dormir como se fosse rico. Você deveria estar acordado ao raiar do dia”, aconselha ele.

“Se eu tivesse percebido todo o meu potencial aos 20 anos, eu alcançaria meu primeiro milhão muito mais cedo”, afirma ele. Para Cardone a velocidade é poder e, quando você é jovem, a paciência não é uma virtude. O mercado de hoje está mudando à velocidade da luz, então você precisa ser ágil para seguir em frente.

Trabalhar oito horas por dia não te deixará rico

E então, outro exemplo do que não fazer na juventude vem agora. “Eu perdi metade dos meus 20 anos trabalhando em empregos de baixa remuneração. Empregos que não me desafiaram a crescer e desenvolver habilidades valiosas.

Entretanto, ele não pensa que empregos com salários baixos sejam ruins. Para o milionário pode ser que você tenha que começar com um salário mais baixo. Mas estar contente para sempre e sem qualquer impulso não fará você ter sucesso na vida.

“Eu costumava trabalhar no McDonald’s ganhando sete dólares por hora. Para mim, era simplesmente uma maneira de ganhar dinheiro. Mas para o cara que trabalha ao meu lado, foi uma maneira de aprender o negócio e um dia abrir 100 franquias. O “porquê” é importante. Eu não sabia o meu “porquê”, então eu estava essencialmente perdendo meu tempo. Meu colega de trabalho não.

Para Cardone é fundamental que você mesmo jovem se questione. Como posso ganhar mais dinheiro? Isso pode significar pedir um aumento, mudar para um novo emprego com um salário mais alto. Segundo o milionário, você deve ser um fanático por dinheiro.

Para continuar a se inspirar veja o que Bill Gates pensa sobre o conhecimento e a criatividade. Com o livro de mais de 30 milhões de dólares

Contudo, ele afirma que a aceitação da ideia de que oito horas investidas em seu trabalho é suficiente, independentemente de sua posição financeira, é um equívoco de proporções épicas.