Os indicadores econômicos que podem agitar a semana

0
681
s indicadores econômicos que podem agitar a semana

Os indicadores econômicos que podem agitar a semana no início de dezembro. Na próxima terça-feira, 3 é a vez do PIB. Contudo, depois de crescer 0,4% no segundo trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) deve operar bem próximo deste número no terceiro trimestre. A mediana do mercado financeiro para o período é de alta de 0,2%.

De acordo com o Monitor do PIB da FGV, a economia deve avançar 0,1% em relação ao segundo trimestre, e crescer 0,9% na comparação anual. Em contrapartida, a demanda, e a perspectiva para os investimentos e para o consumo são de expansão. O mesmo vale para a agropecuária e serviços, no lado da oferta.

Entretanto, acredita-se que a construção civil irá promover um respiro no dado da indústria. O setor tem se recuperado desde o segundo trimestre deste ano, Período em que conseguiu avançar 1,9% em relação ao primeiro trimestre.

Veja também:

Bivar é indiciado pela Polícia Federal por candidatura laranja.

Open Banking deve iniciar operação em 2020 segundo Banco Central.

No entanto, um importante fator para os números de final de ano é a liberação do FGTS. Ele deve levantar a indústria do mês de outubro. O setor deve crescer 1,18% no mês, em relação a igual período do ano passado. A Produção Industrial Mensal (PIM) será divulgada pelo IBGE nesta quarta-feira (04/12).

Na próxima sexta-feira, 6 será divulgado o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de novembro. O resultado deve acelerar para cerca de 0,50%, contra alta de 0,10% no mês de outubro.

Os fatores que devem puxar a inflação para cima são vários. A alta dos preços da gasolina por conta da alta de 4% nas refinarias. O que deverá chegar na bomba em torno de 1,5% a 2,0%. A conta de energia com a bandeira vermelha também é responsável pelo aumento do índice.

Entretanto, o aumento dos preços da carne bovina com a gripe suína na China, o Brasil elevou as suas exportações de carne para o país asiático, desabastecendo o mercado doméstico. Com a aproximação das festas de final de ano, a demanda por carnes aumenta, elevando os preços.

Facebook Comments