Unick Academy sai do ar e deixa mais de R$ 12 bilhões em dívida com clientes

0
214
Unick Academy sai do ar e deixa mais de R$ 12 bilhões em dívida

Unick Academy sai do ar e deixa mais de R$ 12 bilhões em dívida com clientes. A empresa que antes era Unick Forex já esta com a maior parte de seus líderes presa pela Polícia Federal. Desde de a última segunda-feira, 11 o site do Office da Unick Forex (local onde é possível ver os “rendimentos”‘ e valores investidos) saiu do ar e até o momento não voltou.

Os investidores que viram os chefes da empresa sendo presos e até mesmo assassinados, estão preocupados mais uma vez com a queda repentina do site. No entanto, ao tentar entrar no “office” do site da Unick, o usuário se depara com “Error 522” e depois com uma página de login em cache do cloudflare. Ou seja, o site caiu, mas uma cópia não utilizável dele está no ar.

Contudo, o que continua no ar é a página da empresa com propagandas e planos dos programas oferecidos. É possível que a pagina de investimentos não volte a operar mais.

Fui lesado o que fazer?

Contudo, para tentar reaver seu investimento você precisa provar o valor investido. Se for determinada a falência da pessoa jurídica da Unick Forex, os bens dela deverão ser vendidos. Desta forma o dinheiro será usado para pagar os credores. É provável que saia um edital no Diário Oficial para que os credores se manifestem.

No entanto, os clientes com mais de 40 salários mínimos em investimentos podem pedir a falência da empresa. Já os clientes de menores aportes podem se juntar para entrar com uma ação conjunta. E então haverá a venda judicial de todos os bens para quitar o máximo de dívidas possíveis.

Na última quinta-feira, 14 a polícia Federal apresentou um relatório parcial sobre o caso de pirâmide na Unick Forex. O relatório reafirma uma dívida bilionária da empresa com seus clientes. Algo em torno de R$ 12 bilhões. A informação, segundo o Gaúcha ZH, consta nos autos do inquérito da Operação Lamanai.

Entretanto, neste inquérito estão indiciados os sócios da empresa e pessoas suspeitas de operar o esquema criminoso. São eles:

Leidimar Bernardo Lopes; Danter Navar da Silva; Fernando Marques Lusvarghi; Paulo Sérgio Kroeff; Israel Nogueira e Souza; Sebastião Lucas da Silva Gil; Euler da Silva Machado; Fernando Baum Salomon; Caren Cristiane Greef de Oliveira; Ronaldo Luis Sembranelli; Marcos da Silva Kronhardt; Fabiano Alves da Silva; Ana Carolina de Oliveira.

As investigações

No entanto, a polícia continua as investigações e analisam o material apreendido na Operação Lamanai. Entretanto, a busca é por outros possíveis crimes e demais pessoas que cooperaram no esquema fraudulento iniciado no município gaúcho de São Leopoldo.

Contudo, a empresa passou a ser investigada pela Polícia Federal em 17 de outubro. Eles prometiam lucro de 100% sobre o valor investido em até seis meses. Com o golpe a empresa teria captado ilegalmente cerca de um milhão de pessoas até virar alvo da Polícia Federal.

Durante a operação a polícia apreendeu R$ 200 milhões que estavam em contas bancárias que eram controladas pelo grupo. Entretanto, acredita-se que a Unick chegou a captar R$ 40 milhões por dia.

Entretanto, muitos investidores estão desesperados sem nenhuma perspectiva de reaver seu dinheiro. Outros provavelmente vão entrar com processos judiciais para reaver algo.

Veja também:

Grupo Bitcoin pede recuperação judicial.

Brasil deve recuperar grau de investimento em 2020.

Em outras palavras, a Unick é acusada de operar um esquema de pirâmide financeira. A empresa esta desde novembro de 2018 proibida pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) de fazer oferta pública de qualquer tipo de investimento sob pena de multa. Contudo, a empresa continuou atuando normalmente.