Em São Paulo pandemia deve ser responsável por fechamento de 40% de bares e restaurantes

0
195
Em São Paulo pandemia deve ser responsável por fechamento de 40% de bares e restaurantes

Em São Paulo pandemia deve ser responsável por fechamento de 40% de bares e restaurantes. Mais da metade dos estabelecimentos,57,1%, demitiram funcionários. E ainda, 83,3% utilizaram a suspensão do contrato de trabalho durante a pandemia para manter equipes ou reduzir demissões. A redução de jornada e salário, 45,2%, e férias coletivas, 33,3%, foram as outras alternativas para manter parte ou toda a equipe empregada.

Contudo, nove em cada dez empresários o que significa, 92,9%, acreditam que, com a continuidade da pandemia, haverá recessão até o final do ano. Em 67% dos estabelecimentos, os empresários conseguiram negociar redução do aluguel.

Veja também

Lojas Renner anuncia juros sobre capital próprio superior a R$ 55 milhões.

JBS tem sua classificação elevada pela Fitch para B B+.

No entanto, 66,7% afirmaram que estão sendo cobrados pela média de consumo de energia elétrica dos meses anteriores à pandemia e 11,8% sofreram algum tipo de abuso. Como por exemplo, juros abusivos, protesto sem aviso prévio e prazo curto para informar o consumo.

Entretanto, mais da metade dos estabelecimentos cerca de 57,1%, demitiram funcionários e 83,3% utilizaram a suspensão do contrato de trabalho durante a pandemia para manter equipes ou reduzir demissões. A redução de jornada e salário (45,2%) e férias coletivas (33,3%) foram as outras alternativas para manter parte ou toda a equipe empregada.

Em contrapartida, o serviço de delivery esta sendo utilizado por, 73,5%, que estão trabalhando com entregas. Desses, 80% estão insatisfeitos com o atendimento dos aplicativos. Eles cobram taxas abusivas e ainda retiram muitos estabelecimentos do sistema de entrega em horários de grande movimento, impedindo o cliente faça o pedido.

No entanto, em 57,5% dos casos, os empresários mostraram-se cautelosos e preferem pressionar para abertura mais gradual e segura. Já 25,9% concordam em não pressionar e esperar pela decisão das autoridades ou aguardar o arrefecimento da pandemia com a diminuição do risco de contágio e com clientes mais seguros para frequentar os estabelecimentos; e 19% desejam a abertura imediata.

Em meio a toda esta crise criada o número de empresas que fecharão ao longo dos meses deve apenas aumentar. Tendo um reflexo proporcional no desemprego, com aumento da inadimplência e redução da circulação financeira.

Este cenário pode ser e stendido para vários estados do país a medida que seus governantes vão ampliando o período de inatividade destes negócios. E empresas de outro setores também podem iniciar este processo de falência.

Facebook Comments