Patrocinado

A Procuradoria-Geral da República (PGR) solicitou ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, que reconsiderasse parte da decisão do caso de suposta agressão ao ministro Alexandre de Moraes e a família do magistrado no aeroporto de Roma, capital da Itália.

SAIBA: Mercado já prevê a inflação acima da meta para 2023

Toffoli, relator da ação, permitiu que Moraes, a esposa e os três filhos do ministro, se tornassem assistentes de acusação no processo, o que poderia representar um potencial conflito de interesses.

LEIA: PF tem versão sobre suposta agressão à família de Moraes refutada pela polícia da Itália

A solicitação foi feita pela procuradora-geral interina, Elizeta Ramos, que pediu que o Ministério Público (MP) tivesse acesso a uma cópia completa dos autos. Isso incluiria vídeos completos das câmeras de segurança no aeroporto de Fiumicino, onde ocorreu o suposto incidente em julho.

LEIA: Haddad deixa gabinete em SP sem falar com a imprensa, após Lula ignorá-lo

Entre para o Telegram do Investidores Brasil!
Acesse as notícias que enriquecem seu dia em tempo real, do mercado econômico e de investimentos aos temas relevantes do Brasil e do mundo.  Clique aqu
i. Se preferir siga-nos no Google News: Clique aqui.

VEJA: Carro diplomático do governo brasileiro trafica cocaína na Turquia

Elizeta argumentou à Suprema Corte que a decisão limitava de forma irracional e inconstitucional o acesso do Ministério Público às provas. Ela afirmou que as restrições ao acesso e manuseio das provas poderiam inviabilizar a execução dessas atividades.

A procuradora solicitou ainda que o MP pudesse extrair uma cópia do material bruto, sem qualquer edição ou manipulação. Isso permitiria confrontar o original e a cópia e verificar a cadeia de custódia.

Ainda de acordo com a PGR, assistente de acusação não pode existir em hipótese alguma, antes do recebimento da denúncia, que cabe a PGR fazer, e não foi feita. Tornando a decisão de Toffoli inconstitucional.

MAIS: Na Bahia criminosos se passam por indígenas e promovem invasões

Moraes estava retornando de Siena com a família dele, onde havia dado uma palestra na universidade local. No entanto, no terminal do aeroporto, o ministro teria sido hostilizado por três brasileiros.

LEIA: Ministro que afirmou “ter derrotado o Bolsonarismo”, assume a presidência da Suprema Corte

Deixe seu comentário